Governo de Minas homenageia vítimas de Janaúba na Medalha Santos Dumont

Evento será realizado nesta terça-feira (24/10) na Fazenda Cabangu, em Santos Dumont, terra natal do aviador brasileiro

Foto: Manoel Marques/Imprensa MG

Vítimas e pessoas que participaram dos trabalhos de resgate e socorro médico na tragédia de Janaúba, no Norte de Minas, serão homenageados pelo Governo de Minas Gerais na solenidade de entrega da Medalha Santos Dumont, nesta terça-feira (24/10), na Fazenda Cabangu, em Santos Dumont, na Zona da Mata. A homenagem é um reconhecimento do Estado à dor das famílias que perderam filhos, filhas e parentes, e aos que lutaram para salvar vidas, como policiais, médicos e enfermeiros.


A professora Heley de Abreu, que faleceu devido aos ferimentos provocados pelo fogo enquanto lutava para salvar seus alunos, será homenageada in memoriam no Grau Ouro. O Centro Municipal de Educação Gente Inocente, local da tragédia, também receberá o Grau Ouro, e será representado por sua diretora, Aline Cristina Mendes Santos. Os demais homenageados serão o médico André Leonardo Silveira Mendes, a enfermeira Letícia Mendes, o 3º sargento da Polícia Militar Wyclefson Lopes Teixeira e o soldado PM Gilberto Rômulo Dias Prates.

Para Luiz Carlos Batista, viúvo da professora Heley, a homenagem é um conforto. “A gente fica confortado e comovido em receber essa honraria do Governo de Minas Gerais, porque significa o reconhecimento do ato de bravura que Heley teve naquele momento. A ação dela impediu que muitas crianças fossem mortas. O exemplo dela serve para o mundo. Para ser herói hoje são necessários pequenos gestos de amor e generosidade, e o que mais nos gratifica é ver que existem pessoas assim, que todos podem doar um pouco de si, e que podemos todos ser mais solidários uns com os outros”, disse.

A enfermeira Letícia Mendes explica que os momentos vividos no hospital da Fundação de Assistência Social de Janaúba (Fundajan), onde trabalha desde 2013, foram carregados de muita dor, ao mesmo tempo em que era necessária coragem e rapidez, dela e de seus colegas, para salvar vidas.

“Esse reconhecimento ao trabalho que fizemos deve ser dividido com os demais profissionais de saúde e com toda a população de Janaúba, que se mobilizou num grande gesto de solidariedade, com orações, doações e presença junto às famílias das vítimas. A cidade se uniu totalmente”, lembrou.

Para a diretora da creche, Aline Cristina Mendes Santos, o momento é de superação. “Eu me apego a três palavras: fé, esperança e amor, para reconstruirmos a segunda parte da nossa história, sempre acreditando que o amanhã será melhor, mesmo com tantos desafios”, diz. Ela disse que tem sido difícil a missão, mas o apoio, a solidariedade e o reconhecimento possibilitam a reconstrução. “Reabrimos as portas em outro lugar, estamos acolhendo as famílias e acreditando que a escola ainda é um lugar de proteção e de amor, mesmo com alunos e servidores ainda hospitalizados em razão da tragédia”, disse.

O soldado Gilberto está na Polícia Militar há sete anos. Como um dos primeiros a chegar à creche, ele relembra os momentos com muita emoção e diz que as cenas que presenciou vão marcar sua vida para sempre. Gilberto disse que não fala apenas por ele, mas por todos que ajudaram no socorro e no pós-tragédia. “Independentemente da minha atividade, qualquer ser humano faria o que eu fiz para salvar vidas num quadro terrível. Essa situação ainda me comove muito, pois eu queria ter podido fazer muito mais”, afirmou.

O médico André Leonardo diz que o reconhecimento do governo, com a Medalha Santos Dumont, é uma vitória da medicina do interior do estado.

“É uma honra receber esse reconhecimento, pois representa o mérito da medicina do interior do estado. Mostramos naquele contexto que, mesmo em uma situação adversa como aquela, que foi atender mais de 40 pessoas em estado grave, que conseguimos o melhor desfecho possível, destacando a qualidade do material humano ali presente. É reconfortante saber que não faltou nada para aquelas pessoas. É da minha cidade que estamos falando e eu me sinto honrado em poder ter exercido o que eu faço de melhor. Para mim, é virtuoso receber essa honraria do Governo de Minas Gerais em nome de todos os profissionais de qualidade de Janaúba e do Norte de Minas”, frisou.

A tragédia de Janaúba ocorreu no dia 5 de outubro, quando o vigia da escola ateou fogo no local. Além da professora Heley e do próprio vigia, nove alunos morreram. Naquele mesmo dia, o governador Fernando Pimentel desembarcou na cidade e comandou as primeiras providências para socorrer as vítimas, inclusive com transporte dos casos mais graves para Montes Claros e Belo Horizonte.

A Medalha Santos Dumont é uma das mais tradicionais honrarias concedidas pelo Governo de Minas Gerais. Foi criada em 1956 para comemorar os 50 anos do primeiro voo do brasileiro Alberto Santos Dumont em uma aeronave mais pesada que o ar, o 14-Bis, em outubro de 1906, em Paris (França). É concedida em quatro graus: Grande Colar, Ouro, Prata e Bronze.