Operação de fiscalização apreende 250 pássaros em Divinolândia de Minas

Mais de 20 autores foram autuados, com multas que se aproximam a meio milhão de reais no total

Foto: Polícia Federal/Divulgação

A operação de fiscalização denominada “Heisenberg” apreendeu no município de Divinolândia de Minas e região, 250 pássaros da fauna silvestre brasileira. Mais de 20 autores foram autuados, com multas que se aproximam a meio milhão de reais no total. Cinco pessoas foram autuadas em flagrante por adulteração e falsificação de selo público, sendo conduzidas pela Polícia Federal à penitenciária.

A operação foi realizada pela diretoria Regional de Fiscalização Ambiental do Leste Mineiro, vinculada à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), com o apoio da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) e Polícia Federal (PF).

O objetivo foi fiscalizar criadores amadores de passeriformes, previamente investigados e verificar possíveis adulterações ou falsificações de anilhas, conforme apuração feita no Sistema de Controle e Monitoramento da Atividade de Criação Amadora de Pássaros (Sispass).

“Nosso objetivo é prevenir e coibir a continuidade desses ilícitos na região”, disse a diretora do núcleo regional de Gestão das Denúncias Ambientais e Controle Processual do Leste Mineiro, Andreia Colli.

“Em resumo, foram resgatados 250 pássaros. Desses, 248 eram passeriformes e dois psitacídeos, sendo um papagaio Chauá (amazona rhodocorytha) e um papagaio do peito roxo (Amazona vinacea), ambos ameaçados de extinção e constante da lista da Convenção sobre Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção (Cites). Dentre esses animais apreendidos, a maioria é da espécie Saltator similis (trinca ferro), porém, foram apreendidas, também, diversas outras espécies, como o azulão verdadeiro, canário da terra, pintassilgo, coleirinho, sofrê, bico de veludo, pichochó, pássaro preto, dentre outros”, completou a diretora.

Os pássaros foram cuidados por médicos veterinários da Semad e encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Belo Horizonte, onde passarão por triagem e serão readaptados para posterior soltura.

Planejamento

A operação foi planejada em parceria com a 8ª Companhia Independente de Meio Ambiente e Trânsito da Polícia Militar de Meio Ambiente (8ª Cia PM Ind. MAT), tendo em vista os indícios da prática de tráfico de passeriformes da fauna silvestre brasileira, em especial de aves da espécie Saltator similis, conhecida popularmente como Trinca Ferro, na região.

Por ainda preservar importante fragmento da Mata Atlântica no estado, o município de Divinolândia de Minas e proximidades, representa um dos últimos refúgios da espécie, que encontra ali seu hábitat natural.

A Operação contou com a participação integrada de 15 fiscais da Semad lotados nos Núcleos de Fiscalização Ambiental Integrada do Nordeste de Minas e de Guanhães e da diretoria de Fiscalização dos Recursos Faunísticos e Pesqueiros (DIFAP), sediada em Belo Horizonte, além do apoio técnico da diretoria Regional de Regularização Ambiental do Leste Mineiro e de policiais da 8ª Cia PM IndMAT e da PF de Govenador Valadares. No total foram envolvidos 30 servidores estaduais e federais e 12 viaturas.