Em evento lotado em Poté, prefeitos mineiros cobram acerto de recursos atrasados

O salão de eventos do Sindicato Rural de Poté ficou lotado, com mais de 300 pessoas dispostas a discutir a solução para os problemas dos gestores mineiros.


Os termômetros marcavam 32 graus, mas o calor estava, na verdade, no centro das discussões dos gestores públicos na sétima edição do “AMM nos Municípios – Encontro nas Macrorregiões”, no dia 27 de outubro de 2017, em Poté, na região de Jequitinhonha e Mucuri de Minas Gerais. Na pauta dos desabafos dos prefeitos mineiros constavam os atrasos de repasses dos recursos estaduais e federais e a consequente dificuldade em gerir os municípios sem dinheiro em caixa.

O salão de eventos do Sindicato Rural de Poté ficou lotado, com mais de 300 pessoas dispostas a discutir a solução para os problemas dos gestores mineiros. É nos municípios que se encontram as dificuldades, onde está o povo, que fica prejudicado há cada vez em que os recursos não chegam às contas das prefeituras.

A força do “AMM nos Municípios” está na participação dos agentes públicos e na união dos poderes legislativo e executivo pelo bem comum: o fortalecimento dos municípios mineiros e, consequentemente, a melhoria na qualidade de vida do cidadão mineiro.

Em Poté, 31 prefeitos, 44 vereadores e seis vices-prefeitos estiveram presentes no evento, confirmando a preocupação dos representantes do povo com a situação das contas dos municípios mineiros. Na abertura do evento, a sede da AMM foi transferida, simbolicamente, para Poté.

Na avaliação do presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM) e prefeito de Moema, Julvan Lacerda, o apoio dos prefeitos, de diferentes regiões mineiras, é primordial não apenas para o sucesso do evento mas, também, para a união e mobilização dos gestores contra os abusivos atrasos nos recursos.

Julvan convidou a todos para se unirem em prol das lutas municipalistas recentes, entre elas a “Mobilização pela pauta prioritária municipalista”, documento em que constam as solicitações dos ofícios da AMM entregues ao Governo do Estado de Minas Gerais, ao Governo Federal e aos parlamentares mineiros.

O prefeito de Poté, Gildésio Sampaio de Oliveira, o popular Nêgo, que é diretor da AMM, região de Jequitinhonha e Mucuri, realçou a importância da mobilização. De acordo com o prefeito, o desejo da AMM com o evento é de abrir um canal de diálogo com o governo. “Vamos dialogar, chegar a um consenso, ver onde está o erro na saúde, na educação. Agradeço muito a AMM por ter escolhido Poté como sede da reunião no Jequitinhonha e Mucuri de Minas Gerais.”

Presença constante e importante nos eventos da AMM, o vice-governador do Estado de Minas Gerais, Antônio Andrade, ouviu atentamente as reivindicações dos prefeitos e mostrou-se preocupado com a situação dos gestores. De acordo com o vice-governador, é importante a união de esforços dos municípios, do governo estadual e do federal e que todos se sentem a uma mesa e discutam os problemas, o que pode beneficiar o cidadão.”

Para o prefeito de Teófilo Otoni e tesoureiro da AMM, Daniel Sucupira, os gestores devem valorizar a seriedade do evento da Associação, que não faz palanque político, mas é um espaço para a discussão dos problemas reais do municipalismo. “Esse evento é importante para levar a AMM ao interior de Minas Gerais. É uma ação jamais vista na história da instituição. Fica aqui esse grande trabalho que a associação tem feito pelos nossos municípios. O evento é de ações suprapartidárias, que quer dizer que os municípios têm papel fundamental para o desenvolvimento do nosso País.”

O prefeito de Andradas e diretor regional Sul da AMM, Rodrigo Lopes, percorreu mais de mil quilômetros para comparecer ao evento. Na avaliação do prefeito, a reunião é importante para que o governo faça os repasses de maneira regular. “Não estamos pedindo nada que não seja direito dos municípios. As dificuldades estão aí e, se os repasses continuarem atrasados, ficará impraticável a gestão de municípios nos próximos meses.”

Atendimentos

Ao longo do dia de programação do evento, os técnicos da AMM dão assessoria aos servidores públicos do município em diferentes áreas. Na área da saúde, a assessora Juliana Marinho conversou com o secretário da pasta em Poté, Otávio Neto, sobre a proposta de Estratégia Estadual de cofinanciamento tripartite da retaguarda hospitalar rede de urgência e emergência.

A assessora atendeu, também na parte da manhã, as coordenadoras do CRAS e do CREAS e a Secretária Municipal de Assistência Social, que foram orientadas sobre os atrasos nos repasses de recursos, forma de distribuição de cestas básicas e estratégias para contratação de profissionais.

No período da tarde, o assessor do departamento de convênios, Rubens Costa, atendeu o diretor de Convênios e Contratos do município, Edson Timo Pena, para orientá-lo sobre funcionamento e trâmites de convênios.

Projeto

Por meio deste projeto idealizado pela Associação Mineira de Municípios (AMM), os gestores e servidores públicos das cidades do interior de Minas Gerais – que nem sempre podem estar na sede em Belo Horizonte – têm a oportunidade de participar das atividades da Associação para reivindicarem ações e, juntos, buscarem soluções e mais desenvolvimento, principalmente aos pequenos municípios. “Queremos um movimento de capacitação dos gestores locais, e de interlocução e união dos agentes políticos na construção de um municipalismo mais forte”, explica o presidente da AMM e prefeito de Moema, Julvan Lacerda.

Além do debate que reúne gestores municipais e autoridades do cenário político estadual, o “AMM nos Municípios – Encontros nas Macrorregiões” também conta com palestras de especialistas em gestão pública para qualificação e capacitação dos participantes.

O projeto tem como parceiros o Crea-Minas, Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG), Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MP-MG), o Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Cidades e de Integração Regional (Secir/Subsecretaria de Integração Regional) e da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), e apoio institucional da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG), da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e da Rede Minas de Televisão. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) é o mais novo parceiro do projeto e estará presente nos próximos eventos.