Bebê ‘terrorista’ não consegue embarcar para os EUA

Erro do avô ao preencher formulário para requisição de visto frustou as férias da família para Orlando (Flórida); família ainda pagou multa equivalente a R$ 11 mil

Um erro no preenchimento do formulário para requisição de visto para entrada nos Estados Unidos submeteu um bebê de 3 meses de idade a um interrogatório de quase dez horas, segundo reportagem publicada nesta segunda-feira (17), no blog JC, O Viral, hospedado no site UOL. A família também teve que pagar multa. O caso aconteceu em Londres, na Inglaterra.


O engano foi cometido por Paul Kenyon, avô do pequeno Harvey Kenyon-Caims, que, ao invés de responder ‘não’ para a seguinte pergunta: “você está a procura de se engajar ou já se engajou em atividades terroristas, espionagem, sabotagem ou genocídios?”, respondeu ‘sim’, colocando a criança como terrorista.

Por isso, o bebê teve de ser levado à embaixada dos EUA, na cidade, para “prestar depoimento”. Segundo o jornal Mirror, a família pretendia viajar de férias para para Orlando, na Flórida. Kenyon só descobriu o erro quando o visto de seu neto foi negado.

“Eu tinha preenchido os cinco primeiros formulários todos de maneira correta. Eu não tinha ideia de que tinha cometido o erro até o visto de Harvey ser negado”, disse em entrevista. O homem contou ainda que ficou sem acreditar que o consulado não havia percebido que era um erro, já que Harvey é um bebê. “Eu não podia acreditar que eles não podiam ver que era um erro genuíno e que um bebê de três meses não faria mal a ninguém”, completou o avô.

Com o erro, a família teve que pagar uma multa de £3 mil (o equivalente a R$ 11 mil).
Apesar de desfeita a confusão, o novo visto não chegou a tempo para eles pudessem aproveitar as férias.