Incêndio atinge prédio de 24 andares e deixa mortos em Londres

Ao menos 50 pessoas ficaram feridas no incêndio que atingiu a torre Grenfell, no subúrbio da cidade. Prédio corre o risco de ruir, segundo bombeiros.

Um grande incêndio que atingiu e destruiu um prédio de 24 andares e 120 apartamentos, no subúrbio de Londres, na Inglaterra, na madrugada desta quarta-feira (14), deixou vários mortos e ao menos 50 feridos. O edifício corre risco de desabar. Não há informações sobre o que teria provocado as chamas.

Foto: Natalie Oxford/AFP Photo/Reprodução

Imagem feita por uma moradora da região mostra prédio em chamas

O chefe da Brigada de Incêndio de Londres, Dany Cotton, afirmou que houve uma “série de mortes”, mas disse que não poderia confirmar o número vítimas por causa do “tamanho e da complexidade” do edifício o incêndio na torre Grenfell, construída em 1974, no bairro Lancaster West.

Bombeiros estão inspecionando os locais seguros do prédio, à procura de vítimas e novos focos de incêndio.

Testemunhas relataram em redes sociais que pessoas pularam da torre em chamas e que havia gente presa na torre durante a madrugada.

Cerca de 200 bombeiros, a polícia e os serviços de ambulâncias foram mobilizados. Por volta de 5h, as chamas estavam controladas, embora fosse possível ver labaredas em alguns andares. Ainda é possível ver muita fumaça no edifício.

Como parte da estrutura foi consumida pelas chamas, o prédio corre risco de colapso. Por isso, a polícia esvaziou residências vizinhas.

O fogo atingiu apartamentos do 2º ao 24º andar, informou um oficial dos bombeiros. Testemunhas relataram ter ouvido explosões durante o incêndio e ter visto paredes caindo.

O incêndio é um dos maiores registrados em Londres. "Nunca vi nada parecido com esse incêndio em 29 anos de trabalho", declarou o chefe da Brigada de Incêndio de Londres.

Os bombeiros foram chamados por volta da 1h15 local (21h15 de terça (13), em Brasília) para apagar o incêndio no edifício. Dezenas de pessoas, moradores ou não do edifício, saíram às ruas, muitos apenas de pijama.

Cinzas se espalharam em um raio de 100 metros do prédio e uma coluna de fumaça tomou conta da região e podia ser vista a quilômetros de distância. Vários quarteirões estão interditados, inclusive uma estação de metrô.

Bombeiros equipados com aparelhos de respiração trabalharam em condições extremas, realmente muito difíceis, para combater as chamas”, disse o comandante Dan Daly, da London Fire Brigade.

O escritor e ator britânico Tim Downie, que mora na região, relatou cenas de horror à France Presse (AFP). "O prédio foi tomado inteiro pelas chamas. É uma questão de tempo até que desabe", disse.

Fonte: G1