Movimento SOS Rio Fanado

Os Municípios de Minas Novas, Turmalina, Capelinha e Angelândia precisam resolver a questão do saneamento básico em seus limites

O Movimento SOS FANADO, luta pela revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio Fanado. O rio sofre com grande despejo de esgoto, em diversos pontos da área urbana e rural. O objetivo é alertar a comunidade e autoridades em relação ao atual descaso que um assunto tão importante vem sendo tratado.


Esgoto jogado no Rio Fanando em Minas Novas

O acesso à água potável e ao saneamento básico foram reconhecidos como direito do ser humano pela Organização das Nações Unidas. A resolução declara que “o direito a uma água potável, limpa e de qualidade e a instalações sanitárias é um direito humano, indispensável para gozar plenamente do direito à vida”.

Foto: SOS Fanado/Divulgação

A coleta e o tratamento de esgoto têm sido deixados de lado por sucessivos governos. A inexistência de rede de distribuição de água potável, associada à falta de coleta e de tratamento de esgoto, cria um ambiente insalubre que propicia o desenvolvimento de doenças fatais.

Trata‐se de doenças toxicológicas causadas pela contaminação por substâncias químicas vindas de causas e produtos diversos, que são lançados diariamente nos rios e nos esgotos a céu aberto da nossa cidade, com impactos diretos à saúde da população.

Foto: SOS Fanado/Divulgação

Infelizmente, nossos governantes ainda têm uma visão míope sobre a questão do saneamento básico. A sociedade civil precisa estar alerta para o problema toxicológico causado pela falta de coleta e tratamento de esgoto, além do dano ambiental incalculável produzido nos rios, sendo as entidades gestoras gritantemente omissas em relação ao assunto.

Até quando o nosso Rio vai aguentar? Convivemos com esse crime ambiental há décadas, aguardando soluções, e o que vemos é o descaso e a irresponsabilidade prevalecer.
A solução do problema é possível: Vistorias de vazamentos, instalação de fossas sépticas, fossas com filtro anaeróbico, sumidouros, lagoas de estabilização, Estações de tratamento, de estágios preliminar, primário, secundário e terciário.

Foto: SOS Fanado/Divulgação

Agentes comunitários devem orientar a população sobre os cuidados nos domicílios necessários para o despejo regular dos dejetos e o controle do lixo, com descontaminação da água destinada ao consumo.

A população fanadeira está revoltada, decepcionada e indignada com o descaso, com a ausência de soluções, com a falta de ações efetivas, com o pagamento de uma taxa (de esgoto) que não gera nenhuma contraprestação social.

Foto: SOS Fanado/Divulgação

Para evitar este tipo de prejuízo ambiental, é imprescindível que seja feita a coleta adequada de esgoto doméstico, com tratamento adequado a cada tipo de efluente, seguido do depósito correto deste esgoto tratado, de acordo com a legislação ambiental vigente.

Paralelamente, é essencial realizar também a manutenção correta da rede de esgoto, evitando vazamentos e desvios impróprios. Apesar de representar uma postura inicial e depender de trabalho contínuo, práticas como essas são algumas das importantes para garantir a defesa do meio ambiente e a preservação da saúde e do bem‐estar de pessoas e animais.
Todas as diretrizes para a resolução da questão, já são palpáveis e de conhecimento do homem, cabendo a cada órgão responsável pela questão adotar as medidas pertinentes em caráter de urgência.

Os Municípios de Minas Novas, Turmalina, Capelinha e Angelândia precisam resolver a questão do saneamento básico em seus limites, notadamente nas margens do Rio Fanado, que é o mais importante bem natural da região e está em fase de decadência total.
O movimento solicita que sejam tomadas as devidas providências efetivas junto aos gestores municipais e estaduais da questão.

Acesse as páginas do movimento:

https://secure.avaaz.org/po/petition/Populacao_da_cidade_de_Minas_Novas_MG_Movimento_SOS_Fanado/?cdffhmb

https://www.facebook.com/pg/SOS-Rio-Fanado-314899405625164/posts/?ref=page_internal

Foto: SOS Fanado/Divulgação