Moradores protestam por justiça após morte de adolescente causada por PM

De acordo com a Polícia Militar, o soldado e um outro militar estavam de folga e em trajes civis quando houve os disparos

Moradores de Santo Antônio do Jacinto participaram nesta terça-feira (12/09) do velório de um adolescente de 17 anos, morto por um policial na noite do último domingo (10/09). O cortejo fúnebre foi seguido de um protesto, com faixas e cartazes, a população pediu justiça para o rapaz.


O policial está preso desde domingo (10/09) quando ocorreu o crime. De acordo com a PM, o soldado e um outro militar estavam de folga e em trajes civis quando houve os disparos. Na versão da corporação, Alessandro Viana, estava em atitude suspeita, já familiares e amigos da vítima alegam que o menino voltava da igreja quando foi morto.

Ainda de acordo com a polícia, o soldado e o colega também policial estavam em uma lanchonete, por volta das 22h30, quando foram avisados que havia duas pessoas em atitude suspeitas em um lote vago próximo a lanchonete. O soldado que atirou contou que viu o adolescente em uma motocicleta e deu ordem de parada, porém ele não acatou e seguiu em direção ao policial, que disse ter se assustado e ter feito um disparo acidental.


A versão é bem diferente da dos moradores da cidade. Segundo eles, o policial estava bebendo em um bar e soube de uma briga em uma praça da cidade. O policial teria abordado o adolescente que não teria envolvimento na confusão e estava saindo de uma igreja. O menino subia na moto quando foi dada a voz de parada, mas ele seguiu por não ter ouvido e o policial atirou contra ele.

De acordo com a Polícia Militar, o adolescente chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu e morreu a caminho do hospital. Cerca de 200 pessoas, entre familiares e amigos da vítima fizeram um protesto pedindo Justiça. Eles alegam que o adolescente era trabalhador e não estava envolvido com a criminalidade.

“Esse policial já deu vários problemas aqui na cidade. Não é a primeira vez, só que agora ele matou um adolescente que nada tinha a ver com a confusão. Nós queremos que a Justiça seja feita. Esse policial não pode continuar na ativa”, reclamou um morador da cidade, que preferiu não se identificar.

Ainda segundo a Polícia Militar, o soldado foi preso em flagrante e encaminhado para o batalhão em Almenara, onde está à disposição da Justiça. Ele teve a arma recolhida e passou por teste de alcoolemia, sendo que não foi constatada a presença de álcool no sangue do policial. O adolescente não podia dirigir a motocicleta por não ter 18 anos. Um processo interno também será instaurado para apurar o caso.

Veja a nota completa enviada pela PM sobre o caso:

No domingo por volta das 22h30min, na cidade de Santo Antônio do Jacinto/MG, policiais militares de folga e em trajes civis, quando chegaram em uma lanchonete para lanchar, foram acionados por populares, haja vista que dois indivíduos estavam em atitudes suspeitas próximo à um veículo. Durante a abordagem policial, surgiu uma motocicleta em alta velocidade, quando um dos policiais determinou que o condutor parasse o veículo, o qual não atendeu e jogou a motocicleta em sua direção. Nesta ocasião, segundo versão do policial militar, ocorreu um disparo atingindo a vítima na parte superior do peito. A vítima, 17 anos, foi conduzida para a Unidade Básica de Saúde e mesmo após vários procedimentos médicos, não resistiu à lesão. O policial militar foi preso em flagrante e conduzido para a sede do 44º Batalhão de Polícia Militar em Almenara/MG, onde está preso à disposição da Justiça. Foi procedido o teste de alcoolemia não sendo constatado uso de bebida alcoólica pelo policial militar